Evite Acidentes Com Idosos

Seguro Saúde x Plano de Saúde
28 de novembro de 2020
LGPD e os Impactos no Terceiro Setor
28 de novembro de 2020

De acordo com dados recentes do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), existem cerca de 28 milhões de idosos no Brasil. Essa parcela da população maior de 60 anos representa 13% de toda a população nacional. Em vista disso, é grande o número de famílias que precisam redobrar os cuidados com idosos no domicílio, especialmente em uma época de isolamento social.

Como pertencentes ao grupo de risco, os idosos são os principais afetados pela quarentena — medida tomada no combate à pandemia do coronavírus. Mas de que maneira a saúde dos idosos é afetada? O que fazer para prevenir acidentes e cuidar das necessidades dos nossos pais e avós? Separamos aqui algumas recomendações dadas por especialistas que serão muito úteis para sua família!

Quais são os 8 principais cuidados com idosos no domicílio?

Dicas de cuidados com idosos no domicílio

O período de isolamento social vem trazendo inúmeros desafios físicos e mentais para a população, principalmente para os idosos que estão no grupo de risco. Do ponto de vista mental, é possível observar quadros de crise de ansiedade e de profunda tristeza. Aliás, a solidão e a perda da vida social são os principais gatilhos dessas situações.

No que se refere à saúde física, quadros depressivos e de solidão podem reduzir a imunidade. Um estudo feito pela Universidade de Chicago descobriu que o risco de morte pode chegar a ser 14% maior entre os idosos. Além disso, o isolamento limita a mobilidade do indivíduo, aumentando o sedentarismo e a fragilidade — que podem facilitar a ocorrência de acidentes como quedas, fraturas e queimaduras.

Mas como evitar esses problemas e contribuir para a segurança e a saúde do idoso em casa? Confira algumas dicas!

1. Mantenha os ambientes bem iluminados

As chances de o idoso sofrer acidente em ambientes bem iluminados são muito menores. Fica mais fácil perceber obstáculos e diferenças de níveis (como rampas e escadas). Assim, toda passagem utilizada pelo idoso precisa contar com uma iluminação eficiente e confortável.

Outra dica é instalar luminárias próximas à cabeceira onde o idoso dorme. Assim, caso ele precise levantar-se à noite, o interruptor estará ao seu alcance. De qualquer modo, é sempre recomendado manter algum tipo de iluminação durante a noite.

2. Garanta áreas de passagem extensas

Cômodos e corredores apertados, com muitos móveis no caminho, podem ser um grande desafio para o idoso se movimentar livremente pela casa. Pensando nisso, garantir áreas extensas e livres de elementos que poderiam causar tropeços ou esbarrões é uma ótima forma de evitar acidentes.

Além de móveis e de objetos em geral, que não devem bloquear ou atrapalhar a passagem, é importante ficar atento aos animais de estimação, que podem ficar no caminho do idoso e causar quedas.

3. Tenha atenção ao uso de tapetes

O uso de tapetes pode ser um grande problema para idosos com andar mais arrastado. Pequenas dobras ou fios soltos são suficientes para aumentar as chances de queda. Por isso, é preciso tomar alguns cuidados com essas peças:

• nunca passe fios (elétricos ou de telefone, por exemplo) por baixo de tapetes, pois causam dobras e elevações que podem se prender aos pés do idoso;

• opte por tapetes presos com fitas de dupla face ou antiderrapantes em áreas de passagem;

• remova tapetes escorregadios;

• não use tapetes no início ou fim de escadas;

• use tapetes antiderrapantes no box ou ao lado da banheira.

4. Cuide da segurança da cozinha

cuidados com idosos no domicílio também incluem a cozinha

Os cuidados com idosos no domicílio envolvem também a estrutura e a organização da cozinha. Essa área pode guardar muitos riscos. Para ajudar a torná-la mais segura, fique atento a alguns detalhes.

Por exemplo, assim como no banheiro, muitas tarefas nesse local envolvem o uso de água e, por isso, se não houver cuidado, acabam restando vestígios dela no chão. Por isso, mantenha o piso seco e limpo.

É preciso também dar atenção à altura em que os utensílios são guardados. Se estiverem muito baixos, o idoso vai precisar se abaixar, e isso pode causar tonturas ou desequilíbrio. Armários altos também geram riscos, pois podem levar o idoso a usar bancos ou escadas para alcançar os objetos. Por isso, guarde as peças em uma altura mediana.

5. Instale corrimões nas escadas e em rampas

Os corrimões são mecanismos de segurança para pessoas de todas as idades, mas são ainda mais importantes para os idosos. Eles fornecem mais equilíbrio ao subir e descer escadas e rampas.

Como medida adicional de proteção, instale fitas antiderrapantes nos degraus, facilmente encontradas em lojas de materiais de construção. Lembre-se de que, em casas com dois ou mais andares, a atenção deve ser redobrada, uma vez que a extensão das escadas é maior.

6. Avalie possíveis irregularidades no piso da casa

Fique atento a qualquer irregularidade no piso. Afinal, peças soltas de tacos e azulejos ou mesmo pequenos desníveis podem ser o suficiente para causar quedas. Por isso, vale ficar atento a alguns aspectos:

• não utilize ceras que deixem o piso escorregadio;

• em escadas, box e rampas, use modelos de revestimento antiderrapantes;

• aconselhe o idoso a evitar andar pela casa de meias, que podem aumentar as chances de escorregões;

• retire a fiação solta pelas passagens, usando canaletas para prender os fios.

7. Facilite o acesso aos telefones para casos de emergência

Os telefones são especialmente úteis para pedir socorro, sobretudo se o idoso morar ou dormir sozinho. Por isso, manter um telefone em uma área acessível e bem-iluminada é o ideal. Ele pode ficar na cabeceira da cama, por exemplo.

Mas não basta ter o aparelho. É preciso também saber usar o equipamento. Então, é bom certificar-se de que o idoso entende como manusear e como pedir ajuda se necessário. Existem até alguns modelos de celular no mercado que têm um desenho e um sistema bastante simplificados voltados ao público de mais idade.

8. Evite deixar os idosos sozinhos em casa por grandes períodos

Ficar sozinho por longos períodos não é bom nem para a saúde física nem para a saúde mental do idoso. Cedo ou tarde, ele vai se deparar com tarefas com as quais necessita de suporte. A impaciência pode motivá-lo a fazer certas atividades sem auxílio, aumentando as chances de acidentes.

Além disso, na necessidade de um socorro rápido, estar sozinho pode fazer o tempo de atendimento demorar, piorando o quadro. Então, avalie o grau de autonomia do idoso, peça a ajuda de familiares e, se necessário, contrate um acompanhante. Além disso, familiares que moram longe podem manter o contato regular por telefone e chamadas de vídeo, por exemplo.

Como um seguro pode ajudar nos cuidados com idosos no domicílio?

Em algumas situações, acidentes dentro e fora de casa podem ser difíceis de evitar. Por isso, vale investir em um seguro para idosos que tenha esse tipo de cobertura. Assim, você garante o melhor suporte em imprevistos. Aqui, estamos falando não apenas do pagamento de indenização ao beneficiário em caso de morte acidental, mas de diversas vantagens que podem ser usadas pelo idoso ainda em vida e são bastante úteis!

Entre as coberturas do Master Acidentes Domiciliares da MAG Seguros estão indenização por acidente coberto, como fratura óssea ou queimadura, por internação hospitalar e até mesmo o reembolso do gasto com ambulância em caso de acidente.

E para ajudar a prevenir esse tipo de imprevisto, o seguro oferece também coberturas especiais para prover cuidados com idosos no domicílio. Entre as assistências estão a colocação de antiderrapantes nos tapetes, a instalação de barras de segurança em banheiro, de protetores de cantos de mobílias e a revisão da instalação elétrica.

Vimos aqui muitas formas de manter os devidos cuidados com idosos no domicílio e, assim, evitar acidentes que poderiam mudar a rotina de toda a família e, principalmente, a qualidade de vida desse grupo. Além disso, esteja preparado caso imprevistos ocorram e seja necessário contar com um suporte maior.

Open chat
Bem vindo ao IBRASS. Em que podemos te ajudar?