Seguro Saúde x Plano de Saúde

Seguro de Vida
28 de novembro de 2020
Evite Acidentes Com Idosos
28 de novembro de 2020

Qual é a diferença entre seguro saúde e plano de saúde?

Você saberia dizer qual é a diferença entre seguro saúde e plano de saúde? Ambos os tipos de serviços apresentam grandes vantagens aos usuários, uma vez que buscam garantir proteção na hora em que mais precisam.

É claro que, no Brasil, a assistência médica é um direito de todos e um dever do Estado. No entanto, o país ainda encontra muita dificuldade no caminho para o seu desenvolvimento, e o acesso à saúde pública é uma determinação da Constituição que ainda lutamos para tornar concreta.

Por isso, a sociedade civil organizou-se para criar alternativas mais eficientes. Estamos falando, é claro, do seguro e do plano de saúde. Quais são as diferenças entre eles e qual é a melhor opção para você e sua família?

É exatamente sobre isso que vamos falar ao longo deste artigo. Além disso, você vai conferir a importância de investir na saúde e cuidados que devem nos acompanhar em cada fase da vida. Boa leitura!

A importância de investir no cuidado com a saúde

Saiba mais sobre seguro saúde e plano de saúde e entenda as diferenças

Pense bem e tente se lembrar de quando você fez seu último check-up, ou mesmo foi ao médico. Será que consegue listar os hábitos que você desenvolveu nos últimos anos para manter uma vida saudável, como praticar exercícios físicos de forma regular, investir em uma alimentação nutritiva, melhorar a qualidade do sono ou mesmo beber mais água?

A verdade é que, mesmo sabendo quais são as principais decisões que precisamos tomar para melhorar nossa saúde e atingir um equilíbrio entre o mental, o emocional e o físico, muitas vezes, falta-nos a motivação e a disciplina necessárias.

Investir em nossa saúde não é um luxo. Saúde é vida, e o nosso vigor físico e mental é o maior insumo que temos para ter mais satisfação e qualidade no nosso dia a dia. Sem essa força, não conseguimos aproveitar momentos prazerosos com a nossa família e os amigos, fazer a viagem dos sonhos ou alavancar a carreira profissional.

A falta de cuidados com a saúde pode nos deixar mais vulneráveis ao surgimento de doenças. É claro que ninguém vai ficar imune a desenvolver algum tipo de enfermidade, mas aliar os cuidados cotidianos de prevenção ao investimento em soluções que o mercado apresenta, como seguro-saúde e plano de saúde, nos dá maior tranquilidade e suporte quando mais vamos precisar.

Além disso, quando investimos na nossa saúde de forma preventiva, conseguimos:

• reduzir gastos com medicação;

• aprimorar nossa produtividade;

• ser mais positivos;

• mostrar que valorizamos o convívio com nossas famílias e o bem-estar de cada um;

• melhorar a condição geral de nosso organismo.

O cuidado da saúde em todas as fases da vida

Quando falamos em estratégias para cuidar da saúde, muitos se lembram dos mais idosos, que talvez possam precisar de uma atenção maior para tratar e prevenir doenças. Mas não é bem assim. Entenda melhor as peculiaridades de cada fase da vida e que atenção precisa ser dada.

Na gestação

Os cuidados na formação de qualquer indivíduo saudável começam ainda quando se planeja ter um filho e ao longo da gestação. Os primeiros meses costumam ser os mais críticos, quando o corpo da mulher muda para o desenvolvimento de uma nova vida.

Queda na produção de alguns hormônios, aumento de outros e o rápido crescimento dos principais órgãos do bebê são algumas das peculiaridades dessa etapa.

Quando se completarem os primeiros três meses, o bebezinho terá apenas 11 centímetros, mas já estará movimentando mãos, pés, cabeça e até dedinhos. Todo esse processo representa também muitos cuidados que a mãe terá de tomar, como:

• realização de exames pré-natais;

• suspensão no uso de alguns medicamentos (como antitérmicos e analgésicos);

• redução em exercícios de alto impacto;

• melhorias na alimentação para a ingestão de nutrientes importantes, como ácido fólico e vitaminas do complexo B.

Na infância

O nascimento do bebê requer muita atenção, afinal, o pequeno vai chegar ao mundo desprotegido e necessita de cuidados especiais para que suas necessidades sejam supridas. É certo que isso vai exigir dos pais uma dose bem alta de energia — e noites mal-dormidas não serão raras. Mas toda a atenção vai valer muito a pena.

À medida que crescem, as crianças vão ficando mais independentes e demandam menos atenção do que os bebês. Mas surgem outras necessidades.

Elas necessitam de cuidados que incluem agora não somente aspectos físicos, mas também relativos ao desenvolvimento da linguagem escrita e oral, de hábitos saudáveis e de atitudes responsáveis.

Na adolescência

Quando chegam à adolescência, surgem muitas preocupações ligadas à aparência, como cabelo, corpo e pele. Além disso, é necessário dar atenção a temas ligados à prevenção de doenças sexualmente transmissíveis.

Crescem também a interação social e as diversas tarefas acadêmicas, e a atenção a todos os aspectos emocionais decorrentes dessas relações precisa ser redobrada. É importante ficar de olho na saúde mental desses jovens, para que saibam equilibrar seus sentimentos e pensamentos e cresçam de forma responsável.

Na fase adulta

Após completar a formação escolar básica, agora adultos, o foco é o trabalho e os estudos. Tudo isso afeta a nossa saúde física e mental. As diversas mudanças, indecisões e escolhas no início dessa fase podem engendrar quadros de ansiedade, estafa e estresse. Por isso, é importante saber cuidar da nossa saúde em sua totalidade.

As escolhas e os hábitos no cuidado com a saúde nessa fase determinam em grande parte a qualidade de vida que teremos na melhor idade.

Na melhor idade

Quando ficamos mais velhos, normalmente, tendemos a reduzir o ritmo em atividades profissionais, sobretudo após a aposentadoria.

Mas é importantíssimo deixar a mente e o corpo bem ativos, o que contribui para o bem-estar emocional e bons relacionamentos. Além disso, cuidados adicionais com a segurança do lar vão evitar internações desnecessárias decorrentes de quedas, por exemplo.

Independentemente das fases da vida, existem cuidados essenciais para manter a saúde em dia, tais como:

• prática de exercícios físicos;

• alimentação equilibrada;

• boa convivência com amigos e familiares.

Além disso, alguns tipos de investimentos dão o suporte necessário a nós e a nossos familiares no caso de adversidades em todas essas fases, como o seguro saúde e o plano de saúde. Você sabe qual a diferença entre eles? É sobre isso que vamos falar agora!

Diferença entre seguro saúde e plano de saúde

Trata-se de auxílios importantes para todas as fases da vida citadas e que apresentam semelhanças, mas têm definições diferentes. Confira detalhes a seguir.

O que é um plano de saúde?

Um plano de saúde é um serviço fornecido por uma empresa privada que disponibiliza uma rede de atendimento médico, contando com laboratórios, psicólogos, nutricionistas, entre outros. Assim, cada instituição terá sua própria rede de atendimento com clínicas e profissionais cadastrados.

Com um plano de saúde, ao precisar de um serviço médico, será necessário consultar a rede de atendimentos e selecionar o laboratório, a clínica ou o profissional disponibilizado pela empresa. Fora disso, o plano não cobre.

Os tipos de cobertura e abrangência variam bastante de empresa para empresa. As maiores normalmente têm um serviço de mais qualidade e com uma cobertura completa, o que é ideal para quem viaja ou se muda com frequência. Assim, o melhor plano depende bastante do seu perfil e das necessidades da sua família.

O serviço pode ser oferecido em diversas modalidades. Veja algumas:

• individual: é a opção mais cara, uma vez que é personalizada para um único indivíduo;

• familiar: estende-se aos familiares diretos do contratante, o que inclui pai, mãe, cônjuge e filhos;

• coletivo: contratado por um grupo de pessoas, normalmente em associações de classes, sindicatos etc.;

• empresarial: direcionado para empresas públicas e privadas que desejam atender seus colaboradores. Ele é debitado diretamente na folha de pagamento do funcionário, reduzindo parte da burocracia.

Existem também diferentes tipos de planos, conforme sua margem de cobertura, divididos em dois grandes grupos: os de referência e os segmentados.

PLANOS DE REFERÊNCIA

São os mais caros, pois são mais completos, garantindo coberturas amplas a tratamentos, exames, cirurgias e até transplantes.

PLANOS SEGMENTADOS

Atendem conforme o segmento do plano:

• ambulatorial: plano bem básico, com cobertura para consultas e procedimentos mais simples — as restrições dependem do contrato de cada operadora;

• hospitalar: além da cobertura básica, também garante internação sem limites de prazos;

• hospitalar com obstetrícia: em relação ao anterior, adicionam-se pré-natal, parto e atendimento ao recém-nascido;

• plano odontológico: restringe-se aos procedimentos odontológicos feitos em um consultório, como periodontia, exames radiológicos, endodontia e cirurgias orais mais simples, além de emergências e de urgências.

E o seguro saúde?

Nesse caso, a instituição não fornece uma rede de atendimento. Trata-se, na verdade, de um contrato de seguro que reembolsa o usuário pelas despesas médicas relativas a consultas, exames laboratoriais, tratamentos diversos, cirurgias etc.

Assim, o segurado fica livre para escolher o profissional ou a instituição médica que desejar. Esse reembolso seguirá as diretrizes do plano contratado.

Seu funcionamento é semelhante a um seguro tradicional. O cliente paga o prêmio (mensalidade), que varia conforme o risco potencial de futuros custos com tratamentos.

O que o seguro saúde e plano de saúde têm em comum?

Muitas pessoas confundem seguro saúde e plano de saúde, chegando a usar as duas expressões como sinônimas. A verdade é que essa confusão se justifica na medida em que os planos e os seguros têm muitos atributos em comum, apesar de não serem a mesma coisa!

Para termos uma ideia, até mesmo a Agência Nacional de Saúde (ANS), em alguns casos, estabelece regras iguais para essas duas atividades. Mas, antes de falarmos das diferenças entre um e outro, vamos citas as semelhanças.

Podemos dizer que os dois institutos têm o mesmo objetivo: fornecer assistência médico-hospitalar em um momento de necessidade, sem que o paciente precise contar com a rede pública — que, em muitas regiões do país, oferece um serviço aquém dos padrões de qualidade esperados.

Em relação à carência, também há uma similaridade. Cada contrato vai definir os períodos do seguro e plano de saúde. Esse é o prazo em que os serviços não podem ser acessados pelo usuário, mesmo pagando as mensalidades ou o prêmio. Então, independentemente da escolha, não tem para onde fugir.

Tanto no caso do seguro quanto no caso do plano de saúde, o atendimento costuma cobrir desde simples consultas a clínicos generalistas e médicos especialistas até internações, cirurgias e exames. Mas qual seria então a diferença entre os dois? É o que vamos analisar a partir de agora!

Qual é a diferença entre seguro e plano de saúde?

O plano de saúde já é um velho conhecido do brasileiro, ao passo que o seguro ainda vem ganhando força.

Apesar das semelhanças mostradas, ou seja, a preocupação em prestar auxílio médico-hospitalar, a abrangência do contrato dos dois serviços é bem diferente, além do preço mensal, que costuma ser menor no seguro saúde. Veja a seguir os detalhes.

diferença entre seguro saúde e plano de saúde

PLANO DE SAÚDE

O plano de saúde oferece ao consumidor um pacote de serviços ligados à saúde a serem prestados mediante determinadas situações. Tudo especificado em um contrato de adesão assinado pelo consumidor.

Como comentamos, a abrangência da assistência oferecida por um plano de saúde é limitada de antemão a um conjunto de profissionais e de estabelecimentos conveniados à operadora. Geralmente, é composta por uma variedade de médicos de diferentes especialidades e também por alguns hospitais, clínicas e laboratórios.

Os nomes dos profissionais e estabelecimentos conveniados são colocados à disposição do consumidor por meio de periódicos (o chamado livreto do plano) e também, é claro, no site da operadora na internet.

É bom ficar sempre de olho nas novidades, pois, naturalmente, há uma rotatividade de profissionais — uma das desvantagens cujos detalhes serão fornecidos mais à frente.

Se o serviço ou tratamento demandado pelo paciente estiver dentro da cobertura do contrato, ele não precisa pagar nada a mais por isso. Isto é: além do pagamento da mensalidade do plano. Se o tratamento estiver excluído da cobertura, em regra, o usuário é que deve arcar com as despesas na totalidade.

SEGURO SAÚDE

A grande diferença do plano para o seguro saúde é a amplitude do contrato. No seguro saúde, o consumidor não fica limitado à rede de profissionais, clínicas, hospitais e laboratórios imposta pela operadora.

O consumidor pode escolher onde fazer seus exames laboratoriais, com quais médicos se consultar e quais hospitais ou clínicas deseja frequentar. Agora, engana-se quem pensa que o consumidor paga uma fortuna em troca de toda essa liberdade de escolha.

O valor do prêmio pago no seguro saúde depende de cada contrato, mas, em geral, costuma ser mais barato do que um plano de saúde. Isso acontece porque o sistema de funcionamento do seguro é um pouco diferente.

O paciente escolhe o profissional ou serviço que deseja, paga por ele e depois é reembolsado pela seguradora. O valor reembolsado, porém, não é de 100% do custo arcado pelo segurado. É claro que, quanto maior o percentual assumido pela seguradora, mais caro será o prêmio pago pelo segurado.

Qual dos dois é o melhor: seguro saúde ou plano de saúde?

A grande verdade é que cada modelo de assistência à saúde tem vantagens e desvantagens, logo, tudo depende das necessidades e das peculiaridades de cada um.

O importante mesmo é não ficar descoberto, já que todo mundo está sujeito ao risco de ser acometido por uma doença repentinamente, mesmo seguindo as dicas que demos no início deste artigo com relação a uma vida saudável nas diferentes fases da vida. Mas confira as vantagens do seguro e do plano de saúde e descubra qual opção mais se encaixa no seu perfil.

VANTAGENS DO PLANO DE SAÚDE

O plano de saúde tem algumas vantagens, que listamos abaixo.

Segurança e tranquilidade

Nada melhor do que garantir um atendimento de qualidade na hora em que você mais precisar. Os planos de saúde fornecem uma ampla cobertura. Quando necessitar do serviço, basta consultar no site ou no guia da empresa e buscar o profissional ou o hospital mais próximo a você.

Portabilidade

Caso você se mude para uma região não atendida pelo seu plano, é possível solicitar a portabilidade a outra operadora. Dessa forma, não será necessário passar outra vez pelo período de carência.

O mesmo acontece caso você queria mudar para uma empresa que fornece uma cobertura mais ampla ou mais vantajosa. Para fazer isso, segundo a ANS, é necessário apresentar a carteira do plano atual e os últimos 3 boletos pagos e ter no mínimo 2 anos de participação no plano.

Custo zero no atendimento

O plano de saúde é um pouquinho mais custoso, mas, ao passo que, no seguro saúde, será necessário desembolsar os custos para ser reembolsado em parte depois, o plano de saúde não exige que você tenha nenhum tostão no bolso na hora do atendimento.

VANTAGENS DO SEGURO SAÚDE

Além da vantagem de ter maior tranquilidade e segurança na hora em que precisar de serviços médicos, o seguro saúde também dá outras vantagens.

Melhor relação entre custo e benefício

O investimento em um plano de saúde pode custar bem caro, dependendo das condições e da idade do usuário, bem como do número de pessoas acolhidas pelo plano. Nesse quesito, o seguro saúde também sai na frente, pois ele é mais customizado, e você só paga pelos serviços que realmente vai precisar utilizar — e quando utilizá-los.

Liberdade de escolha

O segurado não fica restrito a uma rede de atendimento fornecido pela empresa. É possível escolher os profissionais que desejar, incluindo aqueles indicados por familiares e amigos, que talvez não atendessem pelo plano de saúde. Existe ainda outro ponto interessante: a grande desvantagem do plano de saúde é que pode haver alta rotatividade de médicos e de profissionais da saúde de um ano para o outro.

Isso significa que se o seu médico de família, que já a acompanha há muitos anos, decidir não renovar com a operadora do plano, você terá que procurar outro médico para se consultar ou pagar o valor da consulta por fora. Essa preocupação não existe no seguro saúde.

Além disso, se você se mudar para outra cidade, não é preciso passar pela burocracia de buscar outra empresa que atenda em sua nova região para fazer portabilidade. Basta buscar atendimento onde quiser, e os valores serão reembolsados.

Maior flexibilidade

Os planos de saúde geralmente têm um modelo mais rígido do que os seguros. Conforme as regras da ANS, os seguros podem ser formados por diversos módulos de coberturas, o que permite a construção de um plano adaptado às necessidades do usuário.

Custos

O seguro costuma ser mais barato, além de oferecer ampla liberdade de escolha para o segurado. Seu ponto fraco é que o segurado deve ter disciplina para sempre manter uma reserva de emergência capaz de cobrir qualquer tipo de emergência médica ou mesmo consultas e exames preventivos.

Praticidade em contratos

Na maioria das vezes, os planos de saúde têm um conjunto de cláusulas e regras que atrasam o atendimento. Embora a carência exista em ambos os serviços, o seguro saúde permite que você utilize alguns serviços com mais rapidez, exceto aqueles com montantes maiores de reembolso.

Assim, após essa análise, podemos dizer que o seguro saúde pode ser uma ótima ideia para quem goza de boa saúde e costuma ir pouco ao médico, já que o usuário só terá gastos significativos caso precise do atendimento e, mesmo assim, será reembolsado de parte desses custos.

Agora, se você vive no médico e realiza vários exames ao longo do ano, talvez a melhor alternativa seja mesmo o plano de saúde.

Cuidados na contratação

A contratação do seguro e plano de saúde exige cuidados especiais. É importante assegurar que, antes da assinatura da apólice, o tipo de cobertura escolhido realmente atenda às suas necessidades. Analisar o contrato e suas cláusulas é uma regra básica para qualquer escolha que você faça.

É importante ponderar alguns aspectos fundamentais na escolha. Segue um checklist para você considerar!

Reputação da empresa

Essa pesquisa vale para qualquer escolha: seguro saúde e plano de saúde. Uma das formas de avaliar a idoneidade da operadora do plano é buscar dados no órgão que regula o setor, no caso das seguradoras, a Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), e dos planos de saúde, a já mencionada ANS. Há também portais que ajudam o consumidor a saber como a marca é vista pelo público, especialmente nas redes sociais.

Carência solicitada

Para ter direito aos serviços, será necessário esperar um prazo, que varia conforme a instituição ou o plano. Por isso, é importante avaliar suas necessidades para determinar qual é a escolha mais adequada.

Cobertura de cada plano

A abrangência do plano também é um ponto muito relevante. Em outras palavras, procure saber em detalhes que tipos de serviços são acolhidos pelo contrato, quais são as condições de reembolso, os valores acordados e se há uma rede credenciada de hospitais e profissionais.

Apesar dos cuidados com a saúde que todos devemos tomar ao longo da vida, na atual realidade brasileira da saúde pública, contar com serviço médico privado para você e sua família é sinônimo de segurança, tranquilidade e bem-estar.

Open chat
Bem vindo ao IBRASS. Em que podemos te ajudar?